Tags

, , ,

Se fosse possível reler meus livros preferidos em épocas diferentes da vida, eu o faria, com certeza. O que me impede é a tristeza de saber que, por mais que eu me esforce, nunca vou conseguir ler todos os livros desse mundo. Apesar de ter essa sensação de “eu deveria estar lendo algo novo”, fiz questão de reler O Jogo do Exterminador.

Peguei emprestado pra ler quando tinha uns onze anos. Eu já tinha hábito de leitura, apesar da preguiça que eu tinha na época, e gostei bastante. Coloquei na lista de livros preferidos e sempre quis ler a sequência, O Orador dos Mortos (fazendo uma pesquisa pra esse post descobri que existem outros da série, ainda não lançados aqui no Brasil!). Navegando pelo site da Cultura encontrei o livro pra encomenda, então aproveitei pra comprar logo os dois e ser feliz.

O Jogo do Exterminador é uma ficção científica escrita na década de setenta por Orson Scott Card. Além de vencedor de prêmios importantes do gênero, o livro acabou sendo utilizado também como material de estudo em escolas de filosofia, escolas de superdotados e entre alguns setores militares. Além de duas adaptações para os quadrinhos, Ender’s Game, no original, está sendo transformado em filme, que já está em pós produção (a estreia está prevista para novembro de 2013, e existe um blog onde é possível acompanhar algumas novidades).

From now on the enemy is more clever than you. From now on the enemy is stronger than you. From now on you are always about to lose.

Ender Wiggin é um menino de seis anos de idade, mas está longe de ser uma criança qualquer. Ele é superdotado, o que o tornou alvo do governo para uma escola de treinamento militar no espaço. A Terra de Ender vive num período de guerra, no qual os Abelhudos, alienígenas cujo comportamento se assemelha ao das formigas, atacaram o planeta. Por ser o mais promissor dos três filhos dos Wiggin (a irmã mais velha tem muita sensibilidade, e o irmão mais velho é um psicopata), Ender é escolhido para o treinamento.

A todo o momento ele é colocado a prova nas condições físicas e psicológicas mais exigentes. Ele está sendo treinado para a guerra e está sendo forjado para ser o melhor, nem que isso signifique passar por todo tipo de sofrimento. Enquanto isso, lá na Terra, seus irmãos arquitetam uma espécie de “conquista do mundo” por meio de fóruns da internet. Eles são apenas adolescentes e conseguem criar personalidades filosóficas de grande peso diante da opinião pública e da política. Esses momentos rendem ao leitor grandes debates filosóficos, e é sempre muito estranho lembrar que tudo aquilo está sendo dito por pessoas tão jovens.

Incrível o que o tempo pode fazer. O Jogo do Exterminador me pareceu um livro completamente diferente, lendo hoje. A Juliana de onze anos não captou metade da filosofia da história, não entendeu metade das tramas políticas e não absorveu quase nada do que o livro pode oferecer. Nunca achei O Jogo do Exterminador um livro pra crianças. Ou, quem sabe, seja um livro para crianças de vinte e poucos anos em diante.

The adults are the enemies, not the other armies. They do not tell us the truth.

Livro: O Jogo do Exterminador
Autor: Orson Scott Card
Editora: Devir

Anúncios